quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O Brasil e o Mundo em 1994: Um ano inesquecível onde perdemos Senna e Tom Jobim mas ganhamos moeda nova e o tão sonhado tetra

O Blog Contando a História viaja até 1994 para relembrar um ano inesquecível para os brasileiros, um ano em que perdemos dois gênios, ganhamos uma nova moeda mais forte e trouxemos a taça tão cobiçada pra casa.










Depois de seis sucessivas trocas de moedas e cortes de zeros, o Brasil ganha em 1º de julho sua nova moeda, o real. A moeda estável fez com que a tão temida inflação fosse debelada graças ao sucesso do Plano Real. Implantada no governo Itamar Franco, a nova moeda ajudou a eleger Fernando Henrique Cardoso presidente em primeiro turno. O novo presidente era então ministro da Fazenda quando implantou a URV (Unidade real de Valor) que vigorou até o dia 30 de junho quando a URV virou fator de conversão do Real. 1 URV = CR$ 2.750,00.



Bem antes da eleição, uma gafe quase pôs tudo a perder. Num conversa captada pelas parabólicas, o então ministro da Fazenda Rubens Ricúpero em entrevista ao jornalista Carlos Monforte fala que não tinha escrúpulos. A gravação repercutiu imediatamente na mídia, mas não interferiu em nada, devido á renúncia do mesmo.






No seu último ano de governo, o presidente Itamar começou o ano aparecendo no carnaval ao lado da modelo Lilian Ramos: um detalhe, ela foi fotografada sem calcinha. No final do ano o presidente passou a namorar com a professora June Drummond e seu governo terminou bem avaliado graças ao Plano Real.



A África do Sul em festa com a posse de Nelson Mandela, o primeiro presidente negro da história do país assume o poder.



Em 18 de julho um ataque à sede da Associação Mutualista Israelita Argentina deixa 83 pessoas mortas e 300 feridas.



Um desenho animado japonês vira mania nacional. O anime Os Cavaleiros do Zodíaco conquista grande audiência para a Rede Manchete e as crianças acompanham a saga de Seiya e os Cavaleiros de Bronze.













A FIA decide acabar com a eletrônica e os carros do mundial de 1994 da Fórmula 1 ficaram instáveis. Sem a eletrônica, a intenção inicial era ter as corridas sendo disputadas no braço. Ayrton Senna estreava na Williams e era o favorito absoluto para a conquista do título mundial, só que o carro FW 16 não rendia o esperado e Senna abandonou as duas primeiras corridas que foram vencidas por Michael Schumacher.

O circo da Fórmula 1 chegava em Ímola, na Itália para a disputa do terceiro Grande Prêmio do ano, só que a pista se transformou em cenário de uma carnificina. Foi o mais triste fim de semana da história da categoria. Tudo começou em 29 de abril com o acidente de Rubens Barrichello que bateu na proteção de pneus na Variante baixa e teve um corte no nariz.

No dia seguinte acontece o pior. O austriaco Roland Ratzenberger morre durante os treinos ao bater na curva Villeneuve, mas a FIA esconde tudo fingndo atendimento ao piloto que morreu na pista. O acidente deixou todos transtornados. Senna então lidera um movimento de pilotos pedindo mais segurança, só que o banho de sangue continuaria. No dia 1º de maio na sétima volta da prova Senna lidera e entra na Tamburello, só que a barra de direção quebra no meio da reta e Senna passa reto. Desgovernada, a Williams bate violentamente contra o muro da Tamburello a mais de 200 km/h. A barra de direção se rompe e o braço da suspensão atinge a área entre a viseira e a borracha de proteção do capacete causando os ferimentos fatais. Senna foi levado ao Hospital Maggiore onde faleceu quatro horas depois. Era o desfecho de um dos finais de semana mais trágicos de todos os tempos.



Enterro de Ayrton Senna em 1994 (Foto: Wilson Pedrosa / Agência Estado)





Os funerais em São Paulo reúnem mais de 1 milhão de pessoas. Pilotos e ex pilotos carregaram o caixão com o corpo do piloto que morria aos 34 anos. 161 GPS, três títulos mundiais e 41 vitórias. Um currículo impressionante em dez anos de carreira na Fórmula 1.



Sem Senna a Fórmula 1 inicia uma nova era, a Era Schummy. Foi o começo da dinastia alemã na categoria. Michael Schumacher conquistava o primeiro de sete títulos mundiais numa manobra discutível em cima de Damon Hill na Austrália.





Taffarel defendeu a cobrança de Massaro na final entre Brasil e Itália













Dois meses depois o Brasil chorava de alegria. Foi uma campanha sofrida, gloriosa com final feliz. Depois de 24 anos o Brasil conquistava o tão cobiçado tetracampeonato mundial. Tendo como técnico o teimoso Carlos Alberto Parreira, coube à Romário liderar a equipe na conquista. O baixinho marcou cinco gols, decisivos e Bebeto marcou outros três. A campanha na primeira fase foi tranquila com vitórias contra Rússia e Camarões e empate contra a Suécia. Na partida contra os Estados Unidos o sufoco com um a menos e o gol salvador de Bebeto, na partida contra a Holanda o show da dupla Bebeto e Romário com direito à embala neném. A final em 17 de julho foi contra a Itália e valia a primazia de ser o primeiro tetracampeão da história. O Brasil tinha melhor preparo físico enquanto que a Itália tinha seu melhor jogador totalmente sem condições de jogar, mas o time brasileiro não soube aproveitar as chances. Depois de 120 minutos de uma batalha a decisão foi para os pênaltis e o Brasil brilhou com Taffarel pegando a cobrança de Massaro e a cobrança final foi de Roberto Baggio que chuta pra fora. Brasil tetracampeão. A Taça Fifa foi erguida por Dunga e claro não podia faltar a homenagem à Ayrton Senna.



Outra importante conquista esportiva de 94 foi no basquete feminino. A seleção feminina da dupla Paula e Hortência conquista na Austrália o título mundial inédito coroando uma carreira de sucesso.



O Palmeiras foi o campeão brasileiro de 94 depois de uma final tensa contra o Corinthians. O time de Luxemburgo conquistava seu segundo título seguido de Brasileirão.



Ele foi considerado o maior expoente da MPB e foi um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim, maestro, compositor, intérprete e poeta deixa a MPB vazia em 8 de dezembro quando morre em Nova York.













O ano ainda teve as mortes de Kurt Cobain, líder da banda Nirvana, do jogador Dener, promessa de craque, do ex-presidente americano Richard Nixon que renunciou diante do escândalo de Watergate, o humorista Mussum dos Trapalhões, do poeta Mário Quintana e do empresário Pedro Collor de Mello que denunciou o irmão e trouxe à tona o esquema PC Farias que foram fundamentais para o impeachment de Fernando Collor.

Em breve os fatos mais marcantes de 1995.

15 comentários:

  1. Nunca houve um ano de tantas e intensas emoções na vida dos brasileiros como 1994. Num ano só tivemos a tristeza de perder dois gênios: Ayrton Senna e Tom Jobim. O primeiro, gênio das pistas e um brasileiro que deu certo num mundo de máquinas possantes, o outro, um poeta que cantou como ninguém o Rio de Janeiro e a alegria de voltar a ser o melhor no futebol. Foram 24 anos de espera para o tão sonhado tetra, e uma moeda forte que segue até hoje. Graças ao Real a inflação foi debelada, mas ela ainda ameaça voltar ainda mais depois das trapalhadas do governo do PT.

    ResponderExcluir
  2. Mas um ano importante na minha vida, o que marcou foi a morte de Ayrton Senna. Mas o melhor foi o nascimento do meu segundo filho João Pedro em 19/04/1994.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Foi o melhor ano da minha vida....casei com a mulher mais maravilhosa do Mundo....a minha esposa, amiga, companheira, minha paixão Edileuza em 11 junho 1994 na igreja bonfim....Osasco-SP

    ResponderExcluir
  5. Você menciona conquistas importantes do esporte brasileiro e não faz nenhuma menção à conquista do mundial de basquete feminino na Austrália? Em 1994, a geração de Paula, Hortência e Janeth ganhou a medalha de ouro da categoria, ou seja, a maior conquista do Basquete Feminino do Brasil e você ignora solenemente. Lamentável...

    ResponderExcluir
  6. Eu já reparei o erro e incluí o assunto. É tanta coisa que quase não lembrava, pois minha cabeça às vezes pifa. Muito obrigado por lembrar.

    ResponderExcluir
  7. Oi Kleber, nossa seu blog me ajudou muito em uma pesquisa para a publicação de um livro. Momentos marcantes mesmo. Acho que esse ano foi sem dúvida, um ano de muitos acontecimentos importantes, tanto com perdas, mas também com vitórias emblemáticas! Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Foi um ano de grandes acontecimentos.bons e ruins,mas indiscutivelmente inesquecíveis,tanto na minha vida pessoal quanto no Brasil e no mundo.dentro de alguns aspectos é impressionante ver como o mundo de hoje é completamente diferente do que foi há 22 anos.foi o último ano antes da era da internet e os primeiros celulares ainda eram uma coisa elitista.mas sinto saudades dessa época.

    ResponderExcluir
  9. E foi nesse ano que o Palmeiras foi campeão brasileiro pela ultima vez...kkkkk

    ResponderExcluir
  10. POR ISSO QUE MINHA VIDA É PORRA LOUCA

    ResponderExcluir
  11. O melhor ano de minha vida, indiscutivelmente. Tinha apenas 17 anos naquela época, mas foi tudo tão intenso e maravilhoso que hoje sou um eterno saudosista. O mundo era muito melhor, as pessoas, tudo era bem diferente de hoje. É triste hoje concluir que avançamos tanto e ao mesmo tempo regredimos mais ainda, as pessoas hoje não possuem valores existentes nas pessoas daquela época. A música, os costumes, valores morais, tudo está se decompondo a cada ano.

    ResponderExcluir
  12. Foi o pior ano da minha vida, em pleno dia dos pais foi embora minha rainha,um derrame levou minha mãe na hora da visita no hospital.ate hj sinto muito sua falta!!!!!

    ResponderExcluir